Personalidade

A frustração acontece porque esperamos e desejamos que as pessoas façam as coisas como gostaríamos. Sentir como nós, pensar, agir e falar.

Por mais compatíveis que sejam as ideias entre as pessoas, ninguém pensa da mesma forma. Passar um tempinho mais que o normal com quem acreditamos ter afinidades, vai nos mostrar que as afinidades acabam no mesmo ponto que começa a personalidade.
É aceitar isso e viver em paz. Agir de acordo com o que achamos correto e ter nossa consciência limpa, perante O Único Todo Poderoso que pode julgar todos, sem erros!

Oração

Meu Deus, está tudo estranho, está tudo muito esquisito! É como se cada pessoa fosse um risco, um obstáculo, um perigo.

Será que devo olhar em volta, ficar alerta, ficar tensa, como se a vida fosse um jogo? Ou posso seguir sorrindo? Posso ser eu mesma, educada, gentil, calada, empática? Ou tenho que me fazer de falsa, falar quando eu deveria ficar calada, lamber quando eu sinto vontade de morder e sorrir e acenar enquanto eu queria gritar e mandar ir se lascar?

Não gosto de ser arrogante, odeio gente egoísta, mas parece que é esse o tipo de comportamento que o mundo aprecia. Por que eu deveria ser o que não sou? Por causa de algo que não sei o que é, nem para o que é? Qual é a necessidade de tudo isso?

Não basta que cada um seja o que se propõe a ser, ou que seja o que é capaz de ser? É disso que o mundo precisa, que cada um faça sua parte. Sim, simples assim e apenas isso. Me atento, busco cuidar das minhas responsabilidades, obrigações, me aproximar de gente que gosto e que me faz bem. Do resto, eu me desligo. Convivo, claro, mas sempre que posso, abstraio. Oro.

Quem é você?

Não sei que coisa é essa! Como pode alguém enlouquecer pelo cara da TV? Afinal, é só mais um rosto dentre os milhares que aparecem nas telas.

O Pequeno Príncipe tinha muito zelo por uma única rosa que havia em seu planeta, até chegar na Terra e ver que havia milhares de rosas como a dele. Posso me ver de outro ângulo, me afeiçoar tanto por um rosto mesmo já tendo conhecido vários outros.

E por que um coração melancólico bateria por um outro que pulsa alegria e emoção? Como é maravilhoso, charmoso…. Parece um ser tão saboroso! Sim, é alimento, para a minha alma, para o meu coração, é a felicidade da minha visão.

Não sei se o verei um dia. Caso eu o veja, será que eu aguentaria? Falaria? Me aproximaria? Me calaria? Não sei.

Gosto de imaginá-lo como algo bom, a parte boa do dia. Ver ele é como um raio de sol em uma manhã fria, um vento refrescante em meio ao verão. Um beijo bom.

Será que ele é calmo, tranquilo e sossegado? Ou será que ele é inquieto, atarefado e agitado? Será alto? Baixo? Arrogante, mesquinho e mimado? Espero que não! Isso não o tornaria mais bonito. Por falar nisso, como ele é lindo!

Ahh, Felipe! Por Deus, quem é você?

Está difícil

Que confusão! Está difícil acreditar que você viveu este circo. Aonde você estava com a sua cabeça quando se permitiu passar por tudo isso?

Meu coração está doendo, está apertado, reprimido, atordoado.
Meu cérebro não para, meus pensamentos se agitam, minha imaginação revive tudo. Para cada cena eu daria um grito.

É a atração pela desgraça, seguindo o caminho da atitude impensada.
Não sei de mais nada. Será que você é bom? Será o mal?
Que Deus me faça esquecer! Que Ele ajude vocês dois para que todos nós possamos viver em paz.

Meu coração não está quebrado

Eu acho que está acontecendo alguma coisa diferente comigo. Ainda não sei o que é, mas é forte e genuíno.

Fecho meus olhos e logo tenho que abrir, se eu quiser parar de imaginar quão quente deve ser o calor da pele dele, encostar nos lábios dele e passar as mãos no cabelo dele… e aquela voz? E o abraço? Como deve ser? Meu deus! Com tanta coisa acontecendo na minha vida ao mesmo tempo, agora não é uma boa hora para eu me apaixonar.

Ele é divertido, alegre, sorridente, bonito, charmoso, inteligente, ama filme e ama música. Parece um ser perfeito! Quando estamos conversando, a hora passa e não vejo. Aliás, vejo, mas não me importo porque esqueço do tempo.

O que sinto é diferente porque dessa vez não me faz mal. Eu até me preocupo em agradar ele, mas não me importo muito quando se desaponta comigo, chego a achar engraçado. Ele já conhece meus piores defeitos e por incrível que pareça, não sinto nem um pouco de vergonha. Sempre conversamos sobre tudo, naturalmente, mas o que ele não deve ter percebido é o quanto sou inexperiente, ao ponto de pensar em um monte de questões enquanto eu só queria uma coisa, poder beijar ele. Queria apenas saber se essa química, que faz o pelo do meu braço arrepiar e a minha barriga se contorcer, só existe na minha mente. Tenho medo que tudo isso não passe de uma projeção criada unicamente por mim, e que ao me expressar, eu desencadeie algo que eu não possa carregar até o fim. Ao menos se eu pudesse beijar ele sem que ele soubesse, isso sim, seria incrível!

Será que eu devo dizer algo? Não dizer, mas dar a entender?… Não fazer nada? Não sei! Fiquei feliz com essas sensações porque já fazia tempo que eu não sentia isso. Eu já estava preocupada, pensando que meu coraçãozinho estava quebrado.

Enquanto penso sobre, ou tento esquecer, melhor deixar as coisas acontecerem.

O músico do Metrô da Linha Verde

Ele me pareceu tão lindo!

Sua pele era clara, seus cabelos eram escuros e cacheados. Ele não era alto, mas também não era baixo. Estava bem vestido e parecia ter saído de uma revista de moda, moda alternativa. Tinha uma expressão calma, tranquila, como quem está de bem com a vida. Certamente, é um cara com uma alma rica.

Fiquei sem graça quando percebi que meu olhar tinha paralisado nele e que eu tinha concluído tudo isso em 8 segundos. Fiquei mais sem graça ainda quando me dei conta que ele também havia paralisado o olhar em mim. Ele procurou um assento vazio, se sentou e começou a ler.

Então, fiz cara de árvore, ajeitei meu phone e deitei a cabeça na minha mochila, que estava no meu colo.

Cochilei por segundos. Quando abri os olhos, logo olhei para o lugar dele e fiquei triste porque vi o banco vazio. Olhei mais adiante, notei uma leve agitação no vagão… ele estava lá. Tocando violino para aquele público cansado, que estava voltando da faculdade ou do trabalho. O som era lindo, tanto quanto ele. Tirei meu phone do ouvido e fiquei olhando para ele, agora eu podia olhar admirada, feito público. Quando se virou e me viu, sorriu e acenou levemente com a cabeça. Eu sorri de volta, mas já da porta. O meu metrô tinha acabado de chegar na Estação Tamanduateí, era hora descer.

Ode a mim

O melhor de mim é o riso que nasce do abraço
que aperta e conforta o que há em pedaço
O melhor de mim é criança
risonha e contente com fé no que sabe

O melhor de mim é o jeito sujeito
É afeto que cego constrói o momento
O melhor de mim é carinho
Meu ninho
Terno, pleno, sozinho

Porque metade de mim é paixão
É o afago da mão calejada no gesto do não
Metade de mim jaz em pó
É abrigo, é amor e é só

O melhor de mim é verdade
O melhor é viver sem sangrar de saudade
É amar, é cantar, é propor um sorriso
O melhor para mim é ter mãos se unindo
na esperança de ver corações se abrindo

Por Caio Souza

Enquanto o tempo nos permitir

Desejo você.

Desejo tanto, de forma que nem sei dizer.

Só me beije! Não se preocupe com o depois, o resto vai acontecer.

Não sei o que fazer com essa vontade de te prender, de não deixar que você vá mais uma vez para longe de mim.

Sinto seu perfume, seu calor, sua mão quente que segura em meu pescoço, enquanto me perco no seu beijo e me equilibro nos seus braços, porque o toque dos seus lábios me deixa sem reação.

Preciso de você aqui. Preciso que não vá!

Fique! Fique apenas por mais uma hora. Ou talvez, duas.

Deixe que eu adormeça imaginando que você está deitado ao meu lado, que está me abraçando e que não quer ir porque sentirá minha falta. Só porque sentirá minha falta.

Me deixe pensar que me ama, que só vai partir porque é obrigado. Então, vamos ficar aqui juntos, enquanto o seu tempo nos permitir.